Seize the day




“Na vida há tempo para se arriscar e tempo para se ser cauteloso, e um homem sensato sabe qual é a altura certa para cada uma destas coisas.”



  Essa frase é de um filme que mudou minha forma de pensar. Quase posso ouvir o que 'A sociedade dos poetas mortos' passa no formato de roteiro: faça suas escolhas baseando-se no que lhe convém. A trama mostra de uma forma surpreendentemente forte, como colocar as opiniões alheias à frente das nossas escolhas pode interferir, drasticamente, em quem nos tornaremos. Destaca a importância do ato de se expressar, de ser livre e seguro quanto às próprias opiniões, de ir além do que nos foi imposto. Esse filme foi de extrema importância para mim, porque além de trazer um universo lindamente literário, traz uma parte do que se passa na minha vida neste momento.
  Eu estava pensando: haverá aquelas pessoas que apoiarão nossas decisões, quaisquer que sejam; aquelas que não creditam muito a decisão, mas de uma forma ou de outra acabam dando apoio; e, finalmente, as que querem que você realize o que seria mais viável, só que para ela. O que me intriga é: esses grupos não seguem regras. Ou seja, no primeiro grupo citado, por exemplo, tanto faz ter gente que mal mantém contato, mas que está apoiando constantemente, quanto ter minha mãe. Sei bem disso porque estou vivendo este dilema. E que dilema complicado.
  Resumo: Como já dito no post anterior, não tenho sonhos definidos (nem profissionais). Identifico-me com os cursos das três áreas profissionais (exatas, humanas e saúde). Na metade de 2013, quando cursei meu último ano do ensino médio, decidi apostar todas as minhas fichas no curso de Direito (pesquisei muito sobre e achei que era o certo pra mim). Passei em Letras na Paraíba. Encantei-me pelo curso e mesmo sem saber do resultado das outras universidades, bati o pé e disse que cursaria Letras. Não passei em direito. Partirei de Pernambuco.
  Sim, sim, é o que vocês imaginam. O que eu farei em relação a isso? O que a minha vó falou, “dê um impulso forte e faça o que te der na telha. Aposte no que acha que deve apostar...”. Não vou aproveitar apenas um dia, mas toda uma eternidade!

*Um beijo, um abraço e forza sempre

Comentários

  1. Primeiro: Você me encantou com o comentário que deixou no meu último texto, Cathi (se posso lhe chamar assim). Fico feliz com todo e qualquer comentário, mas adoro quando as pessoas deixam no rodapé da minha página um pouco da essência delas mesmas em palavras.
    Segundo: Eu amo "A Sociedade dos poetas mortos". É um dos meus filmes favoritos e mais inspiradores. Também mudei muita coisa depois que vi ele. Às vezes, a gente só precisa de um impulso pra fazer aquilo que já sabe no fundo.
    Terceiro: Seu dilema não é o único nesse caso. Esse é meu último ano de ensino médio e depois de uns 5 anos sabendo o que eu queria pra minha vida, eu acho que tudo vai mudar agora. Ideias, ideais, escolhas e pensamentos diferentes. Nunca é tarde pra mudar.
    Quarto: Desejo à ti, sorte. Sorte pra conseguir se encontrar no seu próprio mundo, por mérito próprio, também. Que suas decisões te reflitam, e que seu reflexo apareça por meio de sombras indefinidas, mas concretas. Que você consiga ser feliz em qualquer coisa que se sentir bem, e que o arrependimento seja uma palavra distante dos seus dias.

    Volte sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou completamente lisonjeada por poder absorver a sinceridade das tuas palavras. As tuas quatro colocações, realmente, foram de extrema importância pra mim. Criei o blog, primeiramente, para encontrar pessoas que, de certa forma, olhassem na mesma direção que eu, do mesmo modo ou não. Me identifiquei pra caramba contigo (não me perguntes o porquê) e num dia desses a gente pode sentar pra bater uns papos e tal. Obrigada por toda sorte direcionada a mim. Espero que encontres o que faz parte da tua essência. E pular de paraquedas na vida é tão bom quanto na selva, hahaha! Um beijo, um abraço e forza sempre!

      Excluir
  2. O certo é isso mesmo. Viver tudo o que queremos, fazer nossos dias valerem a pena; porque afinal de contas, nunca sabemos qual será nosso último dia vivos.Tem coisas que precisamos aceitar e não esconder de nós mesmos, ir lá e encarar a vida de frente, respondendo por nós mesmos, nos aventurando e nos descobrindo. Desejo-te tudo de bom nessa jornada, muitas descobertas e ótimas experiências!
    P.S.: Muito bom o seu jeito de abordar os assuntos, gostei bastante do teu cantinho <3
    P.P.S.: No vídeo que você colocou, além de ter um filme que eu gosto muito, tem uma música que eu gosto muito, de uma banda que eu gosto muito <3
    Beijo!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Fala aí...

Postagens mais visitadas