18 março 2015

Bom dia, amiguinho! Como vai?




  Se existe uma coisa que tá me rondando ultimamente é tempo livre. E, sabe, né: tempo vazio, oficina dos pensamentos. Muitas hipóteses levantadas por mim foram dignas de “caraca, eu realmente não tenho o que fazer”. Mas vamos pular essa parte e fingir que somos pessoas saudáveis por pensar demais. 

  O que são amigos, hein? Falem aí. O que faz uma pessoa receber o título máximo do universo galáxico da vida pinguinesca limitada? Quero que me digam, senhores.
  
  Nem esperem respostas minhas, porque nessa vida nada tem uma resposta concreta. Tá tudo se embolando e nem tente entender completamente esse embolamento. As consequências são seríssimas.
  Vou contar uma história pra tentar mostrar algumas coisas sobre amizade.
  
  Dorinha, uma criatura muito legal, tinha uma vida muito legal e era amiga de pessoas muito legais. Mas isso, olhando com uma certa superficialidade. Algumas picuinhas aconteciam, muito raramente, entre essas pessoas. Dorinha, curiosa como era, resolveu fazer uma pesquisa aprofundada sobre cada relação sua com cada amiguinho. Algumas coisas deixaram Dorinha triste, principalmente quando ela percebeu quanto peso carregava sozinha. Não que ela fosse egoísta e nem que fizesse pelas pessoas esperando que elas tivessem o mínimo de senso do negócio e se esforçassem para, ao menos, demonstrar que SIM, elas se importavam. A verdade era que Dorinha queria SIM receber algo, não porque tinha feito várias coisas, mas porque havia designado aqueles amiguinhos para dar prosseguimento à sua historinha de vida junto com ela. Só que aí, depois de quase ficar um pouco doida, Dorinha concluiu que amigos são que nem a existência, quanto mais você tenta entender, mais próximo de ser uma Bellatrix Lestrange você fica.

  Essa foi a historinha.

  Acho válido dizer que esses amiguinhos de Dorinha não são pessoas que vestem uma fantasia. Eles são amigos mesmo. E ela quis correr o risco. Não quis ficar em cima e se jogou. Tudo bem que aquele pulo teve suas consequências (e vai ter várias outras), mas ela saberia, e com toda a certeza, se não valesse a pena.

Sejamos mais amigos!





*Um beijo, um abraço e forza sempre!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala aí...